Web Analytics

20/06/2012

Abordagem sobre Recordações de existências corpóreas.(continuação)


Add caption

                                              
Sua relação com existências passadas.
Esquecimento do Passado.
Recordação de fatos que demonstram a personalidade congênita. 

O que sempre me maravilhou com o aprendizado doutrinário Espirita é o fato do livre pensar , fato que capacita a todos se assim tiverem objetivo de estudo a buscar fatos nas obras de Kardec que possibilitem um entendimento amplo sem dogmas estabelecidos pela individualidade regido por crenças arraigadas no recôndito da alma.
O proposito deste estudo é traçar um paralelo entre as obras básicas do Espiritismo demonstrando sem proselitismo a proposta fundamental de Kardec em esclarecer atendendo as mais variadas possibilidades de interação entre os dois planos.

Segundo ( O Livro dos Espíritos,Kardec,1857)
Questão 308. O Espírito se recorda de todas as existências que precederam a que acaba de ter?
“Todo o seu passado se lhe desdobra à vista, quais a um viajor os trechos do caminho que percorreu. Mas, como já dissemos, não se recorda, de modo absoluto, de todos os seus atos.Lembra-se destes conformemente à influência que tiveram na criação do seu estado atual. Quanto às primeiras existências, as que se podem considerar como a infância do Espírito, essas se perdem no vago e desaparecem na noite do esquecimento.”


Essa questão é muito interessante pelo aspecto que normalmente se aborda o passado sendo a abordagem a de um passado distante ,aquele ,que ``gostaríamos´´ de relembrar imediatamente ,mas que não ocorre desta forma segundo a perturbação ao qual o espirito é lançado no momento de seu desenlace ( morte do corpo ),perturbação que varia muito segundo informações contidas em (O Céu e o Inferno, Kardec,1865) ...A punição mais imediata, sobretudo entre os que se acham ligados à vida material em detrimento do progresso espiritual, faz-se sentir pela lentidão do desprendimento da alma; nas angústias que acompanham a morte e o despertar na outra vida, na conseqüente perturbação que pode dilatar-se por meses e anos.Naqueles que, ao contrário, têm pura a consciência e na vida material já se acham identificados com a vida espiritual, o trespasse é rápido, sem abalos, quase nula a turbação de um pacífico despertar.


Baseado neste fato ``perturbação´´ podemos explorar um pouco mais as questões do monoideísmo, causador primário da maioria dos sofrimentos humanos seja enquanto encarnados ou desencarnados pelo qual a irascibilidade,o medo,a culpa em geral acarreta danos carregados durante seculos ,Kardec para não nos deixar duvidas indaga na seguinte questão em (O Livro dos espíritos,Kardec,1857)
312. E a lembrança dos sofrimentos por que passaram na última existência corporal, os Espíritos a conservam?
“Frequentemente assim acontece e essa lembrança lhes faz compreender melhor o valor da felicidade de que podem gozar como Espíritos.”
Não da para definir um percentual desta lucidez , porem o que vemos na pratica mediúnica são espíritos a muito tempo perturbados conforme suas dependências psíquicas, esse aspecto das reuniões é devido ao condicionamento `` religioso ´´imposto pelos órgãos federativos baseados em psicografia do médium Chico Xavier ,pelo espirito André Luis em 1964 ,com o livro Desobsessão, criando assim uma pseudo norma em detrimento de O Livro dos Médiuns que é muito abrangente quanto a forma de se posicionar no intercâmbio mediúnico.
Voltando aos fatos percebemos o quanto é abrangente determinadas questões se não forem tratadas ao pé da letra,assim temos que `` a lembrança dos sofrimentos que passaram na ultima existência é RELATIVA AO DESPRENDIMENTO DAS NECESSIDADES MATERIAIS e principalmente aquelas embutidas na memoria integral do espirito.
Nos reportando ao Evangelho Segundo o Espiritismo , Esquecimento do Passado ,item 11 temos o seguinte esclarecimento : Ao nascer, traz o homem consigo o que adquiriu, nasce qual se fez; em cada existência, tem um novo ponto de partida. Pouco lhe importa saber o que foi antes: se ,se vê punido, é que praticou o mal. Suas atuais tendências más indicam o que lhe resta a corrigir em si próprio e é nisso que deve concentrar-se toda a sua atenção....
Interessante lembrar que identificar as tais más tendências é tarefa muito difícil por si mesmo pois elas refletem um tempo muito ,mas muito grande do qual vivenciamos situações repetitivas devido a nossa personalidade inata ,dai quando em desespero nos tornamos vitimizados inconscientemente de pessoas até com boa fé que desejam nos guiar pela senda sinuosa de nossas vidas.
Na sequencia ``Aliás, o esquecimento ocorre apenas durante a vida corpórea. Volvendo à vida espiritual, readquire o Espírito a lembrança do passado E não é somente após a morte que o Espírito recobra a lembrança do passado. Pode dizer-se que jamais a perde,pois que, como a experiência o demonstra, mesmo encarnado,adormecido o corpo, ocasião em que goza de certa liberdade,o Espírito tem consciência de seus atos anteriores;sabe por que sofre e que sofre com justiça. A lembrança unicamente se apaga no curso da vida exterior, da vida de relação. Mas, na falta de uma recordação exata, que lhe poderia ser penosa e prejudicá-lo nas suas relações sociais,forças novas haure ele nesses instantes de emancipação da alma, se os sabe aproveitar. ´´
É importante lembrar que basta o entorpecimento dos sentidos para que ocorra um estado de emancipação da consciência isso é devidamente comprovado com os médiuns sonambúlicos em uma variada escala de sensibilidade.
407. É necessário o sono completo para a emancipação do Espírito?
“Não; basta que os sentidos entrem em torpor para que o Espírito recobre a sua liberdade. Para se emancipar,ele se aproveita de todos os instantes de trégua que o corpo lhe concede. Desde que haja prostração das forças vitais, o Espírito se desprende, tornando-se tanto mais livre,quanto mais fraco for o corpo.”
Esse entorpecimento ou prostração das forças vitais podem ser expontaneas ou induzidas conforme a necessidade ,no caso de induzidos podemos observar em reuniões mediúnicas  seja para comunicações gerais como para atividades de cura onde o médium se põe em estado alterado da consciência pela concentração e sua objetividade,como também nas experiências com magnetizações e as observações da parapsicologia.
A emancipação da alma se verifica às vezes no estado de vigília e produz o fenômeno conhecido pelo nome de segunda vista ou dupla vista, que é a faculdade graças à qual quem a possui vê, ouve e sente além dos limites dos sentidos humanos.(RESUMO TEÓRICO DO SONAMBULISMO,DO ÊXTASE E DA DUPLA VISTA)
Dado todos aspectos possíveis de comparação e ainda outros que poderão ser acrescentados concluo que ,dentro do campo doutrinário em Espiritismo  e sua prática ainda temos muito a desenvolver sempre com coerência e responsabilidade.Algumas abordagens da terapêutica Espirita  são dogmatizadas apesar de amplamente declarado a inexistência de dogmas na Doutrina ( com exceção é claro do dogma da reencarnação ,pilar de sustentação da Doutrina Espirita ) fato que concordo com a unica ressalva que alguns dogmas continuam sendo impostos como protecionismo daquilo que se acredita ou detém como crença irrevogável.Um bom exemplo disso é o combate sobre a desnecessidade de reconhecer no passado ou outras existências corpóreas pontos importantes sobre nossa personalidade , não digo aqui sobre quem ou o que fomos no pretérito mas sobre personalidade apenas, fácil se apoiar na questão de se avaliar intimamente e identificar os próprios defeitos a serem sanados sem interagir com cenas do passado difícil é aceita-los e modificar o pensamento e os atos quando colocados em evidência ou provados no dia a dia,nos reportando aos mediúnicos temos exemplos claros de que espíritos quando convidados a observar seus defeitos ou atos  nunca o reconhecem apenas por analise  e sim por anamnese da memoria integral do espirito entorpecido.

_______________________________________________________Continuação 1

Ainda sobre a abordagem sobre recordações de vidas corpóreas temos em (O problema do ser do destino e da dor,Leon Dennis,1° edição,copyright 1919 , Federação Espirita Brasileira)
Para recordar, portanto, a primeira das condições é querer. Aí está a razão por que muitos Espíritos, mesmo na vida do Espaço, sob o domínio de certos preconceitos dogmáticos, desprezam toda investigação e conservam-se ignorantes do passado que neles dorme. Nesse meio, como entre nós, no decurso da experimentação, é necessária uma sugestão. Essa lei da sugestão, vemo-la manifestar-se em toda a parte, debaixo de mil formas; nós mesmos, a cada instante do dia, estamos sujeitos à sua ação. Eleva-se, por exemplo, perto de nós um canto, ressoa uma palavra, um nome, fere-nos a vista uma imagem e, de repente, graças à associação de ideias, desenrola-se em nosso espírito um encadeamento completo de recordações confusas, quase esquecidas, dissimuladas nas camadas profundas da nossa consciência.


acompanhem e deem suas sugestões..

2 comentários:

Anônimo disse...

Anselmo, não entendi o final, qual a discordância entre Kardec e André Luiz ?

Anselmo Benites Heib disse...

Obrigado por seu comentário.
Veja bem anonimo,não desejo criar polêmicas , mas para começar a atender sua pergunta tenho que recorrer a uma lembrança fundamental da qual é claro que livros Espiritas são aqueles escritos e organizados por KARDEC, na sequencia temos livros de cunho cientifico de variados autores que se utilizaram largamente da mediunidade para testes e comprovações,então na minha opinião que não é a absoluta ,qualquer livro que tenha vindo posteriormente a KARDEC e não possuir um cunho cientifico é ESPIRITUALISTA , então neste caso não há discordância com KARDEC.

Obs : Seria bacana que se utiliza-se o nome ,pois manterei a comunidade aberta para comentários e acredito que todos leitores também gostariam de saber quem é quem.