Web Analytics

12/10/2012

Novidade ou entusiasmo versus conhecimento.


                    Novidades o que pode ser considerado como novidade dentro do conceito humano, e inseparavelmente dentro do conceito doutrinário de qualquer espécie? 
              Partindo desta premissa trago uma breve reflexão sobre a diferença da novidade ou entusiasmo e do conhecimento posto em prática.
                   A novidade em geral nos trás a ideia de algo inusitado, novo, sem precedentes, conforme (http://www.significadodepalavras.com.br/Novidade, pesquisado em 12/10/2012).


`` s.f. Qualidade do que é novo. / Coisa nova. // Artigos de novidade, artigos com as características da última moda´´, foi de minha preferencia a utilização do termo novidade pois durante muito tempo defrontei-me com com sua variação NOVIDADEIRO, ao qual refere-se conforme mesma fonte de pesquisa à ``s.m. Amigo de novidades; mexeriqueiro´´.
                    Refletindo profundamente nos últimos tempos a esse respeito e estando focado na informação e conscientização no meio espirita em nossa região por hora a ``região oeste´´, percebo que não especificamente aqui em nossa região mas já ouvi muito a utilização deste ``NOVIDADEIROS´´, sempre mencionados com o desdem daqueles que por algum motivo seja explicito ou implícito desconhecem o termo que aplicam ou se não desconhecem o termo desconhecem a história da humanidade e principalmente o todo espiritualista que Kardec expôs em suas obras, desacatam dessa forma não só a busca constante de seus confrades espiritas como também implicitamente a memória do codificador que tanto pavoneiam em voz alta como o insigne mestre porem mal interpretado ou interpretado ao modo pessoal apegado ao orgulho vaidoso ou egoístico daquele que compreende apenas o que deseja sem abrir mão do falso conservadorismo, falso por que por tras do dito conservadorismo existe a falta de autonomia quando não vontade mesmo de servir ao próximo seja em que circunstância, alegar que tudo depende do vontade tem relevância, mas relevância quando estiver esgotado todos os meios possíveis de auxilio, porem esse esgotamento geralmente não ultrapassa a suposta simpatia pelo ser humano. Mesmo em tom de critica severa vamos refletindo sobre os prós e os contras.
               Já identificamos o que seja novidade porem ao defrontarmos com as supostas novidades não nos atiremos de cabeça sobre a critica principalmente a critica feita por outro, pois o que vale mais, nunca, é a opinião pessoal, mas em se tratando de Doutrina Espirita o conhecimento vem a frente inabalável se bem que acompanhado pelo bom senso e fraternidade.
              Algumas pessoas vão dizer que algumas coisas que ocorrem são moda e isso gera entusiasmo passageiro de neófitos e sob a alegação de educação Espirita resvalam em orientações pela metade ou no máximo no teor de seu alcance e vontade, quando falo vontade devemos entender que trabalhar em uma instituição Espirita denota interesse, porem esse interesse deveria ser por gente e não por módulos disciplinares que mal cabem no próprio intimo.
              Costumo repetir que é necessário gostar de gente para atendimento publico e que o teor do convívio não pode se estabelecer na base do falso compreender, e gostar de gente é se interessar em libertá-las dando ferramentas de auto conhecimento. Neste caso voltemos nossa atenção ao Doutrinário, suas nuances ou especifidades devem ser apontadas e orientadas caso a caso.
              Quando falamos em novidade não podemos deixar de destacar que pode-se estar abordando um tema parecido com pós-novidade e em termos gerais estarmos vivenciando etapas históricas do modernismo versus pós-modernismo, destaca-se deste modo o grito de insatisfação de poucos devido a inobservância do todo existente na Doutrina Espirita. Devido a esse excesso suposto de zelo percebe-se que com o passar das décadas algumas fontes importantes de tratamento perderam-se da Doutrina Espirita para serem absorvidos com clareza e eficiência por outros campo ditos esotéricos.
                   E a qual conclusão posso chegar com relação a esse fato?
                   Que só puderam ser absorvidos por outras doutrinas pelo fato delas mesmas estudarem em sua maioria além da Doutrina Espirita todo o seu contexto histórico fontes e procedimentos, assim como também sua eficacia e utilidade social, não há como deixar de citar como fonte primária de varias atividades o Magnetismo em todo sua extensão aliado ao conhecimento técnico e organizado abordado pela Doutrina Espirita e como dizia Kardec ``Mancas quando não aliadas´´.
                   Muito se fala hoje por exemplo de técnicas energéticas tais como: Jorey, Reiki ou suas variações, o que é importante lembrar que todas surgiram na antiguidade e foram bem explicadas pelos mais variados autores espiritas contemporâneos a Kardec. Ou a Cromoterapia, Apometria (donde excluíram ou tentaram ao menos o Dr Lacerda como parte integrante do campo doutrinário), Projeciologia ( ao qual massacram Waldo Viera ).
                  O mais interessante é que atividades como cromoterapia ou regressão de memoria são usados em larga escala em trabalhos mediúnicos desprovidos de conhecimento técnico onde se satisfazem apenas em creditar o conhecimento a espiritualidade ( claro é mais fácil transferir a responsabilidade sempre ao invés de estudar e identificar o processo para não incorrer em riscos de engodo), pois quando não se estuda e conhece algo de fato fica tudo por conta do misterioso assim como os famosos milagres mais fáceis de ser explicados pelo desconhecimento. Também a questão da Apometria foi necessário um médico espirita observar a grande possibilidade de cura que tal procedimento poderia trazer e levar essa técnica para fora passando a auxiliar tantos quantos passaram pelos seus cuidados e infelizmente ainda existe grande preconceito sobre essa atividade que algumas casas desenvolvem timidamente como se fossem transviados doutrinários esquecendo-se que os trabalhos de cura muitas vezes ficam pela metade pela falta de conhecimento técnico de forma que possam ao menos entender o que ocorre no momento do tratamento.
                 Enfim fica aqui um pequeno recado ao universo espirita: atentem ao estudo sincero, busquem conhecimento aliados a razão, desapeguem-se dos dogmas modernos, tenham autonomia, pois a espiritualidade apesar de indulgente não fica a espera de médiuns receosos e resistentes a desenvolver um trabalho muito bem acertado antes da reencarnação, ainda temos o hábito de ler Os Mensageiros de 45 anos atrás sem converter para as atuais necessidades e velocidade do desenvolvimento humano e principalmente o pessoal. Olhos abertos e vamos deixar o receio de lado assumindo a responsabilidade de fato, pois já não estamos mais na condição do ignorante que não arcara com as responsabilidades por falta de conhecimento.

Um comentário:

adilson aloisio Almeida disse...

Meu caro, infelizmente na doutrina a maioria das coisas se começa pela prática,a maioria de nós ainda tem a preguiça da leitura e do estudo, garanto a vc que a maioria de nós médiuns ainda não leu o livro dos médiuns, nem os trabalhadores do passe conhece magnetismo, temos que incentivar através de grupo de estudos, mas temos que começar pelas obras básicas, se o centro faz regressão tem que se ter cursos a respeito.